há 7 meses

GNV ainda é Viável

Imagem representativa da notícia: GNV  ainda é Viável

Um dos vilões da inflação de 2018, o preço GNV (gás natural veicular) ficou 22,18% mais caro no ano passado. Ainda assim, profissionais com conhecimento na área garantem que vale a pena instalar o kit gás como forma economizar com combustível.

Em termos reais, quando é descontada a inflação oficial, a alta do GNV foi 17,71% superior à apresentada pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que apresentou variação de 3,75% ao longo do ano passado.

A alta do GNV é ainda maior quando são analisadas as coletas realizadas semanalmente pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). De acordo com o órgão, o preço médio pago pelo m² do GNV saltou 27,78%, de R$ 2,386 para R$ 3,049, no ano passado.

O presidente da Gasmig (Companhia de Gás de Minas Gerais), Pedro Magalhães, garante que mesmo mais caro ainda compensa instalar um kit gás como forma de economizar. “O preço do GNV ainda é muito barato. Você chega no posto, coloca R$ 50 de gás e anda 200 quilômetros. Com álcool você anda 170 km e com a gasolina, 130 km”, explica.

A responsável pela diretoria Comercial da Naturgy, Bianca Mascaro, afirma que o gás natural figura como a opção mais econômica devido ao rendimento maior do veículo abastecido com ele. "Para anular essa competitividade, o GNV deveria custar o dobro do etanol, ou seja, R$ 6,74".

Magalhães ressalta ainda que os brasileiros não se podem chegar ao posto de combustível e comparar o valor do gás com o da gasolina ou do etanol. "O pessoal chega na bomba, olha o GNV a R$ 3.20 por m³ e compara com o litro da gasolina. Isso está errado, porque se deve fazer uma conversão de m³ para litro. É só uma ilusão”, alerta ele.

De acordo com Bianca, o encarecimento do GNV no ano passado é fruto da atualização do custo do gás firmado pela Petrobras. "O contrato de concessão prevê os repasses para evitar o desequilíbrio econômico".

Em nota, a Petrobras afirma que o preço do gás natural é “estabelecido em contratos de longo prazo e atualizado pela taxa de câmbio e de acordo com fórmulas ligadas ao preço internacional de combustíveis”.

“O preço final do GNV é impactado ainda por tarifas e faixas de consumo específicas das distribuidoras, além de sofrer influência dos postos de combustível, que possuem autonomia para a sua própria prática de preços”, explica a estatal.

Simulação

Em uma simulação realizada com base no preço médio dos combustíveis na semana finalizada no dia 19 de janeiro para motoristas que rodam 1.000 km por mês, o uso do GNV renderia uma economia mensal de R$ 205 para quem costuma abastecer com gasolina e, de R$ 182,86, aos que utilizam álcool.

Caso paguem R$ 5.000 para a instalação do kit gás, o mesmo simulador estima que os donos de veículos movido a gasolina terão um retorno do investimento em pouco mais de dois anos (24,4 meses). Já para os proprietários que utilizam o etanol, o retorno da grana desembolsada ocorre após 27,3 meses da instalação do equipamento.

Segundo a Naturgy, a simulação usa como base a quinta geração do kit gás, com capacidade de 8 m³, e considera que o GNV “oferece maior rendimento na relação entre quilometro rodado na cidade por unidade de combustível”.

Bianca lembra ainda que os veículos equipados com o sistema de gás natural conseguem desconto de até 62% no valor do IPVA (Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores) em alguns Estados.


Notícias relacionadas